Mostrando postagens com marcador Silvana Duboc. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Silvana Duboc. Mostrar todas as postagens

sábado, 31 de março de 2012

O tesouro - Silvana Duboc


Eu vinha caminhando pela praia da vida em busca de um sonho.

Os raios da lua refletiam sobre o mar iluminando as ondas; eu pude então vê-las estourando sobre as pedras.

Uma delas chegou violentamente até a areia trazendo um cofre. Aproximei-me ... ele era bruto e desgastado. Estava trancado e sua fechadura completamente enferrujada.

Procurei a chave para abrí-lo, foi difícil encontrá-la, mas estava ali por perto mesmo, enterrada na areia, porém, com uma mínima parte do lado de fora, como se gritasse:
- "Encontre-me!"

Peguei-a e, com certa dificuldade, consegui destrancá-lo. Tinha tanta coisa linda lá dentro, coisas valiosas que, com certeza, somente quem as colocou no seu interior conhecia.

Era um verdadeiro tesouro, escondido dentro de um cofre sem graça e grosseiro e pela sua aparência nunca alguém poderia avaliar o valor do que ele continha.

Mas o ruído do mar me contou que aquele tesouro estava predestinado a viver escondido ali dentro. E eu que havia tentado libertá-lo, me entristeci, porque tive a absoluta certeza que ele queria viver em liberdade e não preso a um cofre.

Tranquei-o novamente com aquela mesma chave, dei aquele mesmo número de voltas nela, depois devolvi-o ao mar e me afastei.

Mas a chave não enterrei mais na areia, guardei dentro do meu coração.

Só que, antes, eu tive o cuidado de trocar o segredo do cofre, para que se algum dia o mar resolver trazê-lo de volta à praia, nunca, ninguém mais consiga abrí-lo...

E, assim, eu me tornei dona de um tesouro que não é meu... e ele, escravo de um coração que não é dele.

Silvana Duboc

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

As palavras sempre ficam - Silvana Duboc


"Se me disseres que me amas, acreditarei, mas se escreveres que me amas, acreditarei ainda mais.
Se me falares da tua saudade, entenderei, mas se escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.
Se a tristeza vier a te consumir e me contares, eu saberei, mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor"

...e assim são as palavras escritas: possuem um magnetismo especial, libertam, acalantam, invocam emoções. Elas possuem a capacidade de em poucos minutos cruzar mares, saltar montanhas, atravessar desertos intocáveis.

Muitas vezes, infelizmente, perde-se o Autor, mas a mensagem sobrevive ao tempo, atravessando séculos e gerações. Elas marcam um momento que será eternamente revivido por todos aqueles que a lerem.

Viva o amor com palavras faladas e escritas, mate saudades, peça perdão, aproxime-se, recupere o tempo perdido, insinue-se, alegre alguém, ofereça um simples "bom dia", faça um carinho especial.

Use a palavra a todo instante, de todas as maneiras. Sua força é imensurável. Lembre-se sempre do poder das palavras. Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo."

Silvana Duboc

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Caminhão de esperança - Silvana Duboc



Vez por outra acreditamos que não temos mais caminhos a percorrer sozinhos e estacionamos nosso caminhão de esperanças na beira da estrada.

Nunca se amadurece o suficiente a ponto de estarmos preparados para retomar o trajeto desacompanhados. Mas somos nós mesmos os únicos responsáveis por nossas esperanças.

Quando corremos até a estação e iludidos observamos os passageiros que descem do trem, criamos expectativas a respeito de cada um deles e muitos nos ajudam a aumentá-las, contribuindo para que nossos sonhos tomem proporções desastrosas.

Passado pouco tempo eles embarcam no mesmo trem que chegaram, nos deixam um simples até logo, querendo nos fazer crer que ainda voltarão, mas sabemos que isso não é verdade, porque cada trem que parte daquela estação, não retorna.

No entanto outros chegarão, carregados de pessoas e boas intenções, mas como os anteriores, também farão uma parada rápida... e então? será que teremos aprendido a lição?

Melhor talvez voltarmos para aquela estrada, tomarmos novamente o comando daquele caminhão que deixamos abandonado e carregarmos todas aquelas esperanças para algum lugar mais seguro, algum lugar onde ninguém possa lançar mão delas como se fosse uma diversão.

Nossas esperanças são a parte mais valiosa das nossas vidas. É através delas que respiramos no dia a dia, que conservamos nosso lado inocente, que conseguimos atravessar o hoje e chegarmos ao amanhã.

Podar as esperanças de alguém deveria constar do código penal como crime hediondo, inafiançavel e sujeito a pena máxima.

... mas segue a estrada, enfrenta os buracos, as lombadas, as curvas perigosas, a chuva, a noite fria, porque em algum lugar... ela há de dar.

Silvana Duboc

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Laços de ternura - Silvana Duboc




Simples assim, amizades não devem ser amarradas por nós, precisam ser sustentadas através de laços. Mas laços são frágeis, podem se desfazer a qualquer momento com um simples toque ou um rápido movimento. Ao mesmo tempo sabemos que existem laços muito bem dados, com capricho, com carinho e que se tornam tão seguros que mais parecem nós. Mas não se parecem com nós que apertam, que prendem, que são impossíveis de se desfazer.


Amizade é algo que precisa de liberdade e ao mesmo tempo de segurança e um laço bem dado pode ser desfeito a qualquer momento, mas pode também durar uma vida toda, basta ser muito bem cuidado.

De qualquer forma não podemos esquecer que certos nós também podem ser defeitos, aliás rapidamente desfeitos, algumas pessoas são especialistas nisso.



Digo tudo isso pensando em amizades que mais se parecem com obrigação e que vão se sustentando amarradas por nós enquanto o tempo vai esvaziando-as.

Um amigo verdadeiro não nos suga, não tripudia em cima de nós, não vive a mercê apenas dos seus próprios interesses, não exige, não impede o nosso direito de ir e vir. Mas algumas amizades arrastam-se por aí amarradas por um nó, dependentes e em nome de um passado que se bem analisado não foi assim tão verídico.



A vida passa e com o tempo conseguimos enxergar determinadas coisas que anteriormente não era possível. O ser humano tem mesmo a fraqueza de colocar vendas nos olhos quando se encanta com alguém.

Não que amigos não possam ter defeitos, mas seus defeitos não podem ser direcionados a nós com o intuito de nos contrariar e prejudicar.



Já dizia o velho ditado - o tempo mostra quem é quem e ninguém é capaz de se disfarçar a vida toda em alguém que não é.


Crie laços com as pessoas que te fazem bem, que lhe parecem verdadeiras e desfaça os nós que lhe prendem àquelas que foram significativas na sua vida mas infelizmente, por vontade própria, deixaram de ser.


Nó aperta, laço enfeita... simples assim.
SILVANA DUBOC

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Me encante - Silvana Duboc




Me encante da maneira que você quiser,como você souber.

Me encante para que eu possa me dar.

Me encante nos mínimos detalhes.

Saiba me sorrir, aquele sorriso malicioso e gostoso, inocente e carente.

Me encante com suas mãos, gesticule quando for preciso, me toque, quero correr esse risco.

Me acarinhe se quiser, vou fingir que não entendo, que nem queria esse momento.

Me encante com seus olhos, me olhe profundo,
mas só por um segundo,depois desvie o seu olhar, como se o meu olhar, não tivesse conseguido te encantar....

e então, volte a me fitar, tão profundamente, que eu fique perdida sem saber o que falar.

Me encante com suas palavras, me fale dos seus sonhos, dos seus prazeres, me conte segredos, sem medos.

...e depois me diga o quanto eu te encantei, pode até não ser verdade, mas me faça acreditar, eu vou gostar.

Me encante com serenidade, mas não se esqueça, também tem que ser com simplicidade, não pode haver maldade.

Me encante com uma certa calma, não tenha pressa, tente entender a minha alma.

Me encante como você fez com a primeira namorada, sem subterfúgios,sem cálculos,sem dúvidas, com certezas.

Me encante na calada da madrugada,
na luz do sol ou embaixo da chuva.


Me encante sem dizer nada ou até dizendo tudo, sorrindo ou chorando, triste ou alegre...

Mas me encante de verdade, com vontade...que depois, eu te confesso que me apaixonei e prometo te encantar todos os dias,
do resto das nossas vidas!!

sábado, 1 de outubro de 2011

O sol e a lua - Silvana Duboc



Quando o Sol e a Lua se encontraram pela primeira vez, se apaixonaram perdidamente e a partir daí começaram a viver um grande amor.
Acontece que o mundo ainda não existia e no dia que Deus resolveu criá-lo, deu-lhes então o toque final ... o brilho !
Ficou decidido também que o Sol iluminaria o dia e que a Lua iluminaria a noite, sendo assim, seriam obrigados a viverem separados.
Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam.
A Lua foi ficando cada vez mais amargurada, mesmo com o brilho que Deus havia lhe dado,ela foi se tornando solitária.
O Sol por sua vez havia ganho um título de nobreza "ASTRO REI" , mas isso também não o fez feliz.
Deus então chamou-os e explicou-lhes : - Vocês não devem ficar tristes, ambos agora já possuem um brilho próprio.
Você Lua, iluminará as noites frias e quentes, encantará os enamorados e será diversas vezes motivo de poesias.
Quanto a você Sol, sustentará esse título porque será o mais importante dos astros, iluminará a terra durante o dia, fornecerá calor para o ser humano e a sua simples presença fará as pessoas mais felizes.
A Lua entristeceu-se muito com seu terrível destino e chorou dias a fio ... já o Sol ao vê-la sofrer tanto, decidiu que não poderia deixar-se abater pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la a aceitar o que havia sido decidido por Deus.
No entanto sua preocupação era tão grande que resolveu fazer um pedido a Ele :- Senhor, ajude a Lua por favor, ela é mais frágil do que eu, não suportará a solidão...
E Deus em sua imensa bondade criou então as estrelas para fazerem companhia a ela.
Lua sempre que está muito triste recorre as estrelas que fazem de tudo para consolá-la, mas quase sempre não conseguem.
Hoje eles vivem assim .. separados, o Sol finge que é feliz , a Lua não consegue esconder que é triste. O Sol ainda esquenta de paixão pela Lua e ela ainda vive na escuridão da saudade.Dizem que a ordem de Deus era que a Lua deveria ser sempre cheia e luminosa, mas ela não consegue isso ... porque ela é mulher, e uma mulher tem fases. Quando feliz consegue ser cheia, mas quando infeliz é minguante e quando minguante nem sequer é possível ver o seu brilho.
Lua e Sol seguem seu destino, ele solitário mas forte, ela acompanhada das estrelas, mas fraca. Humanos tentam a todo instante conquistá-la, como se isso fosse possível.
Vez por outra alguns deles vão até ela e voltam sempre sozinhos, nenhum deles jamais conseguiu trazê-la até a terra, nenhum deles realmente conseguiu conquistá-la, por mais que achem que sim.
Acontece que Deus decidiu que nenhum amor nesse mundo seria de todo impossível, nem mesmo o da Lua e do Sol ... e foi aí então que ele criou o eclipse!Hoje o Sol e a Lua vivem da espera desse instante, desses raros momentos que lhes foram concedidos e que custam tanto a acontecer.
Quando você olhar para o céu a partir de agora e ver que o Sol encobriu a Lua é porque ele deitou-se sobre ela e começaram a se amar e é ao ato desse amor que se deu o nome de eclipse.
Importante lembrar que o brilho do êxtase deles é tão grande que aconselha-se não olhar para o céu nesse momento, seus olhos podem cegar de ver tanto amor
Bem, mas na terra também existe sol e lua ... e portanto existe eclipse .. mas essa era a única parte da história que você já sabia, não era ?

( Silvana Duboc )

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Navegue - Silvana Duboc



Navegue,

descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar,
o lugar deles é lá.


Admire a lua,

sonhe com ela, mas não queira trazê-la para a terra.


Curta o sol,

se deixe acariciar por ele,
mas lembre-se que o seu calor é para todos.


Sonhe com as estrelas,

apenas sonhe, elas só podem brilhar no céu.


Não tente deter o vento,

ele precisa correr por toda parte,
ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.

Não apare a chuva,

ela quer cair e molhar muitos rostos,
não pode molhar só o seu.

As lágrimas?

Não as seque, elas precisam correr na minha,
na sua, em todas as faces.

O sorriso!

Esse você deve segurar, não deixe-o ir embora, agarre-o!

Quem você ama?

Guarde dentro de um porta-jóias, tranque, perca a chave!
Quem você ama é a maior jóia que você possui,
a mais valiosa.

Não importa se a estação do ano muda,

se o século vira,
se o milênio é outro, se a idade aumenta;
conserve a vontade de viver,
não se chega à parte alguma sem ela,


Abra todas as janelas

que encontrar, e as portas também.

Persiga um sonho,

mas não deixe ele viver sozinho.

Alimente sua alma

com amor, cure suas feridas com carinho.

Descubra-se todos os dias,

deixe-se levar pelas vontades,
mas não enlouqueça por elas.

Procure,

sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.

Dê um sorriso

para quem esqueceu como se faz isso.

Acelere seus pensamentos,

mas não permita que eles te consumam.

Olhe para o lado,

alguém precisa de você.

Abasteça seu coração de fé,

não a perca nunca.

Mergulhe de cabeça

nos seus desejos, e satisfaça-os.

Agonize de dor

por um amigo,
só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.


Procure os seus caminhos,

mas não magoe ninguém nessa procura.


Arrependa-se,

volte atrás, peça perdão!


Não se acostume

com o que não o faz feliz,
revolte-se quando julgar necessário.

Alague

seu coração de esperanças,
mas não deixe que ele se afogue nelas.

Se achar

que precisa voltar, volte!

Se perceber

que precisa seguir, siga!

Se estiver tudo errado,

comece novamente.

Se estiver tudo certo,

continue.

Se sentir saudades,

mate-a.

Se perder um amor,

não se perca!

Se achá-lo, segure-o!

Caso sinta-se só,

olhe para as estrelas: eu sempre estarei nelas.

Não estão ao seu alcance

mas estarão eternamente brilhando para você!