quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

O jogo da vida... - Rubia A. Dantés

Ontem estava jogando bola na parede, de manchete, para fazer exercício e, no princípio, atrapalhei-me toda e não conseguia jogar muito tempo sem que a bola caísse... a bola voltava com muita força ou na direção errada e estava quase desistindo quando resolvi corrigir o que estava fazendo errado... minha irmã me ensinou como receber a bola com os braços bem esticados e, aos poucos, fui aprendendo a força e a maneira de jogar a bola e com isso o exercício foi fluindo e ficando cada vez mais divertido... Uma coisa é certa... a bola retornava com a mesma força que eu mandava e o meu lançamento influenciava a direção com que ela voltava.

A bola é neutra e o que determinava a força e a direção com que ela voltava para mim era a força e direção que eu lançava... e quanto melhor eu recebia a bola mais fácil ficava o próximo lançamento e, consequentemente, ela voltaria melhor fazendo com que o jogo fluísse com facilidade, e o que antes estava sendo um grande esforço para mim se tornou uma diversão.

Hoje me lembrando do jogo, percebi como muitas vezes também nas nossas vidas as coisas custam a fluir ou vão ficando cada vez piores se não corrigimos alguma coisa... Geralmente, quando recebemos uma bola ruim e a devolvemos ao mundo da mesma forma, ou até pior, nem nos damos conta que estamos recebendo uma bola que nós mesmos lançamos um dia e que só nós podemos corrigir esse curso.

Fiquei viajando nessa história do bate e rebate com a bola e fiz algumas ligações com o bate e rebate da vida...
Assim como naquele jogo, no jogo da vida, saber receber bem o que nos chega faz toda diferença na forma como vamos criar a próxima jogada. E saber que fomos nós mesmos que atraímos a forma com que as coisas nos chegam facilita em muito a maneira com que vamos receber aquilo e, consequentemente, lançar ao mundo ações que vão nos trazer um retorno mais feliz.

Não adianta, nem nos piores momentos, a gente se revoltar com o que nos chega e nos colocar como vítimas porque isso só piora as coisas e não ajuda em nada a corrigir o fluxo que não está nos agradando... Receber com revolta e como vítima indefesa é um grande passo para piorar o que já está ruim.

Se eu quero melhorar o que não estou gostando na minha vida, o primeiro passo é reconhecer que eu sou responsável e que só estou colhendo o que plantei um dia... só estou recebendo de volta a bola que eu mesma lancei... mas, sempre posso fazer algo para melhorar... ninguém pode fazer isso por mim.

Receber com amor e gratidão tudo que nos chega é um grande passo para melhorar o rumo que as coisas vão tomar a partir de então... O fato de receber bem os acontecimentos que a vida nos traz faz toda diferença na forma que a vida vai nos dar o retorno...

Geralmente, quando algo negativo nos acontece, quase nunca nos lembramos que fomos nós que criamos aquela realidade e passamos a culpar tudo ao nosso redor e a ter uma atitude resistente e negativa. Parece que tudo toma a cor daquele acontecimento e mesmo as coisas boas são recebidas com negatividade.

Uma boa maneira de receber a vida é com Amor... e olhar para tudo que nos chega, seja aparentemente "bom" ou ruim", com um olhar amoroso por entender que a vida está nos dando, ali, uma oportunidade única de corrigir o curso das nossas vidas... de corrigir algo que nós mesmos criamos um dia.

A escolha está sempre nas nossas mãos... ou vamos continuar a jogar um jogo que não flui e que só traz sofrimento... ou vamos passar a jogar um jogo divertido e amoroso com a vida...
Essa escolha podemos fazer a cada dia e, persistir nessa intenção vai fazer com que, pouco a pouco, os frutos das nossas ações retornem de forma cada vez mais suave a amorosa...

Sempre podemos plantar amor se é isso que queremos colher...


 Rubia A. Dantés 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares