sexta-feira, 25 de maio de 2012

Parábolas de Vida - O barco furado


Na cidade de Parati, no Rio de Janeiro, um homem foi chamado para pintar um barco que já estava um pouco velho e há tempo sem uso. O homem juntou as tintas, os rolos e os pincéis necessários e começou o trabalho.

Enquanto pintava, percebeu que a tinta vazava do barco. Havia algum problema. Olhou com cui­dado e viu um pequeno furo. Resolveu consertá-lo, mesmo tendo sido contratado unicamente para pintar. Quando terminou a pintura, recebeu seu pagamento e voltou para casa.

Na semana seguinte, o dono do barco foi até a casa do pintor e deu-lhe um pacote, com uma quan­tia de dinheiro maior do que a que havia recebido no dia anterior. O pintor, surpreso, disse:

- O senhor já me pagou pela pintura do barco.

- Este dinheiro não é pela pintura, mas por você ter consertado o vazamento do barco - respondeu o homem.

- Foi tão simples que nem quis cobrar. Essa quantia que você está me pagando é muito mais do que o serviço custa.

- Eu sei. Mas o valor do seu ato foi muito maior do que este dinheiro pode pagar. Quando eu pedi que você pintasse o barco, me esqueci do vazamento. Logo que a tinta secou, meus filhos pegaram o barco e foram para a praia para pescar. Eu não estava em casa naque­le momento. Quando cheguei e vi que haviam saído com o barco, fiquei desesperado. Achei que o barco tivesse afundado por causa do furo e que meus filhos tivessem se afogado. Imagine só o meu alívio quando vi o barco voltando e os meus filhos sãos e salvos. Olhei o barco e vi que o buraco estava consertado. Muito obrigado. Devo a vida dos meus filhos a você. Nenhum dinheiro no mundo vai pagar essa boa ação.

Para refletir:
O preço de uma boa ação não pode ser calculado, porque seus efeitos são muitos e muitas vezes nem temos consciência deles. Igualmente, uma ação má pode ter consequências por muito tempo. A atitude generosa e gratuita do pintor nos dá uma grande lição. Quem é interiormente virtuoso não fica apenas nas suas obrigações. Está sempre disposto a fazer o bem, mesmo que isso não seja reconhecido ou re­munerado. Muitas vezes essas ações são algo muito simples, basta dedicarmos um esforço pequeno. Tente, os benefícios serão muitos. Outra lição nos é dada pelo dono do barco. Devemos saber reconhecer e retribuir as boas ações. Devemos sempre agradecer quando alguém nos ajuda e, na medida do possível, ajudá-lo em retribuição.

Darlei Zanon - Parábolas de Virtude 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares