quinta-feira, 17 de maio de 2012

Flor da ausência - Joaquim Moncks


Amarga
essa flor
que se chama amor.

Amarga
essa doçura
a flor da ausência.

Amarga
essa tristeza
que se chama despedida.

Amarga
essa flor do ventre
cujo nome é desejo.

É amarga a boca
que tem o sal da lágrima.

E nesse agridoce
permanece o jogo trágico
das palavras, Amada.

No chão em que piso
baila uma bailarina
cujo nome é solidão.

Joaquim Moncks

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares