quinta-feira, 1 de março de 2012

Tudo que cessa - Fernando Pessoa

Tudo que cessa é morte, e a morte é nossa
Se é para nós que cessa. Aquele arbusto
Fenece, e vai com ele
Parte da minha vida.
Em tudo quanto olhei fiquei em parte.
Com tudo quanto vi, se passa, passo,
Nem distingue a memória
Do que vi do que fui.

Ricardo Reis, um dos heterônimos de
Fernando Pessoa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares